T.A.B.A. – Trabalhadores Articulados em Benefício da Arquitetura

A Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), em parceria com o escritório AH! Arquitetura Humana, trabalha em um novo levantamento sobre o mercado de trabalho em Arquitetura e Urbanismo que irá servir de base para quem busca orientação sobre a profissão, suas atribuições e a atuação em Assistência Técnica de Habitação em Interesse Social (Athis). A ideia é planilhar as diferentes realidades da profissão no país e organizar as opções contábeis e trabalhistas que envolvem a atividade. Além de um olhar geral sobre as relações de trabalho na Arquitetura, o plano também focará na ação em Athis, reunindo projetos exitosos que possam servir de inspiração a novos profissionais que buscam a habitação de interesse social.

O Projeto

O projeto será divido em três etapas. A primeira consiste em uma pesquisa sobre as relações de trabalho do segmento com o objetivo de tentar entender as correlações de força na prática. O levantamento está sendo realizado até o fim de outubro por meio de questionários virtuais direcionados a profissionais de diferentes regiões do Brasil.

A segunda etapa consistirá em um levantamento das possibilidades jurídicas e contábeis e na elaboração de uma cartilha que oriente os profissionais sobre as alternativas do exercício profissional não precarizado. Na terceira etapa, a proposta é levar as constatações do estudo a sindicalistas de diferentes regiões e ao maior número de arquitetos e urbanistas no Brasil. Para tal, a FNA e a Arquitetura Humana trabalham em uma agenda de oficina que inclui apresentação durante o 45º Encontro Nacional de Sindicatos de Arquitetos e Urbanistas (ENSA), que será realizado entre os dias 22 a 28 de novembro.

 O T.A.B.A está lastreado no fato de que, apesar de legislações pioneiras em habitação popular implementadas nas últimas décadas – como a ATME em 1976 e a própria lei da Athis em 2008-, nos últimos cinco anos registrou-se uma total ausência de políticas voltadas à popular de baixa renda no Brasil. Apesar da falta de recursos há mais de 70 iniciativas em curso nas comunidades brasileiras, ações que nascem dentro dos coletivos e movimentos populares e vêm chamando cada vez mais atenção dos arquitetos e urbanistas.

Para participar da pesquisa, basta responder ao questionário do Projeto T.A.B.A. abaixo:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScIyJ_jTm9NWCmTWR4bw5tLjsx-5oxH9JrlKLaWxtutf5DgFw/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0